Preconceito nos games online

Hoje eu vim sério e queria propor uma discussão, tentar abrir um pouco a cabeça das pessoas sobre um dos males que nos assombra: Preconceito.

Eu sou abertamente gay desde os 14 anos, então isso não é segredo pra ninguém. E posso afirmar que nunca foi fácil mesmo com o total apoio que tive dos meus pais e mesmo hoje em dia, sendo uma pessoa adulta e mais centrada, eu continuo achando barreiras pra ser quem eu sou em todos os lugares que estou presente. Inclusive na comunidade online de gamers.

Continuar lendo “Preconceito nos games online”

Indie coreano para dummies

Desde que eu pensei em começar o blog, esse é um dos posts que eu estava mais animado pra fazer, já que ele é sobre uma das minhas mais novas obsessões. Aí vocês me perguntam: “O que tem de tão bom no indie coreano“? E o que eu posso dizer pra você é que não falta criatividade na hora de criar músicas incríveis e que a Coréia não se limita ao k-pop. Nesse post eu vou listar as minhas bandas favoritas e tentar exemplificar o som deles.

Urban Zakapa

urban-zakapa_1431975812_af_org

Eles começaram como um grupo de 9 (!!) membros porém em 2012 eles se tornaram um trio, eles fazem um som considerado R&B porém com uma vibe mais leve e relaxante (Não vai achando que isso é The Weeknd ou FKA twigs). Eles já lançaram quatro álbuns de estúdio e quatro EPs até agora. Ouça: My Love, Cry baby, No Love.

Needle&Gem

needle&gem홈페이지_아티스트_니들앤잼-1024x556

Essa banda/duo é relativamente nova, mas me impressionou com a delicadeza das composições, que são totalmente em inglês, lembra bastante Damien Rice, Surfjan Stevens ou as músicas antigas do Coldplay (do álbum Parachutes). Formada pelo vocalista Eric You e pela violinista Rebbeca Jung, as músicas acústicas e de sabor agridoce, nos transporta pra uma época mais feliz, pura nostalgia. Até agora foi lançado um EP. Ouça: Dawn, Wall.

Continuar lendo “Indie coreano para dummies”

Meu livro favorito de todos os tempos (da última semana)

Oi, hoje eu voltei meio perdido. Eu pensei “Tem tanta coisa que eu quero falar que não tenho ideia do que dizer”. E acabei pensando em dar uma dica de livro. Pois bem, o livro que vou indicar é maravilhoso, e como já diz o título é o meu livro favorito.

A primeira coisa que tenho pra dizer se você for ler esse livro é que você não precisa se sentir intimidado pelas suas 895 páginas (Sim, é bastante, mas a diagramação é bem distribuída) porque o conteúdo vale tanto a pena. E pra vocês verem como a leitura é fluída eu já li ele 3 vezes, e pretendo ler mais uma vez, de tão bom que o negócio é. Sem mais delongas vou falar um pouquinho sobre a minha experiência com esse livro.

Continuar lendo “Meu livro favorito de todos os tempos (da última semana)”

A redenção de Max e o amor fraterno

Esse post é muito importante pra mim, não apenas porque é sobre um Game – o primeiro de muitos que quero falar aqui no blog – mas porque esse jogo acabou sendo importante pra minha concepção do que significa “família” e a importância do amor fraterno.

Eu não falei isso no meu post de apresentação no blog, mas meu relacionamento com meu irmão nunca foi muito saudável, desde a infância, isso porque ele sempre teve uma personalidade muito difícil de lidar, e por eu ser o mais velho, eu sempre tive a carga maior de responsabilidade, e isso acabou se refletindo agora que ambos somos “adultos”.

Continuar lendo “A redenção de Max e o amor fraterno”

A espera interminável por Frank Ocean

Não é segredo pra ninguém que o querido, gostoso talentoso do Frank Ocean anda meio sumido, e á alguns (na verdade vários) meses que rolaram boatos que “algo” iria acontecer em Julho deste ano e todo mundo cantou a bola que iria ser o sucessor de channel ORANGE – o título provável é Boys Don’t Cry – porém nada aconteceu, o que deixou os fãs (eu) roendo as unhas desesperados, praticamente surtando, clamando em nome de todos os deuses.

sheldon-leonard-there-there
                       Vai dar tudo certo

Continuar lendo “A espera interminável por Frank Ocean”

Olá você!

Olá, a gente pode não se conhecer ainda, mas tenho certeza que vamos nos dar muito bem.

Como você pode perceber nesse trocadilho do título – mais do que maroto – meu nome é Henrique. Tenho 20 anos e uma vida não muito agitada, vivo com minha mãe, dois irmãos e o cachorro.

11081495_951917454841825_4058111906866492792_n
                                                               Essa é a Mallu (versão filhote)

Continuar lendo “Olá você!”